quinta-feira, 23 de julho de 2009

Branco ou Rosé?

O texto de hoje eu dedico a um homem muito chique, charmoso e visionário nos negócios. Se algum dia ele teve interesse por mim, quando era casada, ele nunca deixou transparecer e por isso ele é chiquérrimo e merecedor da minha admiração. Mas ele também é bem rápido e bastou saber da minha nova posição para me mandar flores com um cartão muito atencioso “saiba que pode contar com esse amigo”.

Quando estamos sensíveis isso é muito bom, mas eu ainda não queria arriscar “quebrar” aquela imagem que tinha dele ou estragar a relação que tínhamos de respeito. Fui levando a situação o máximo que pude, mas um dia tive que aceitar um dos convites mais audaciosos, que fugiam do happy hour para colocar o papo em dia.

Eu tinha prometido fazer um jantar, mas não estava muito animada então ele disse que iria arranjar tudo, ou seja, o encontro. Eu topei, depois de muita insistência. No dia marcado tentei falar com ele para saber o restaurante, mas ele quis fazer suspense e só marcamos o horário que nos encontraríamos no local.

No horário que falei que sairia de casa ele me ligou e perguntou se eu estava no carro, disse que estava saindo na porta e ele disse que me mandaria um torpedo com o endereço. Entrei no carro e chega à mensagem com o endereço. Eu fiquei muito curiosa e algo me dizia que era um Hotel. Pensei: claro, ele é muito chique deve ter reservado uma mesa especial. Fui em direção ao encontro, chegando próximo ele mandou outra mensagem. “Deixe o carro com o manobrista e dirija-se a recepção”.

Dá para imaginar o “frisson” que ele começou a causar. Cheguei à recepção de um dos hotéis mais chiques da cidade e o procurei no lobby, nada. Outra mensagem: “Identifique-se no checking”. Obedeci, claro, agora tinha que saber até onde isso iria. De posse do cartão do quarto e andar subi, toda sem jeito, mas a sorte é que optei por um pretinho básico e não deixei o visual a desejar, afinal, já sabia do padrão dele.

Quando chego à porta do apartamento me bate uma insegurança, mas não desisti e bati na porta. Ele abriu uma parte e pediu que eu colocasse uma venda. Dá para imaginar? Coloquei, ele abriu a porta e me guiou até uma poltrona. Sentei, tentei relaxar, mas a ansiedade tomava conta de mim. O que será que ele vai aprontar? Ele tentou conversamente normalmente, como sempre fazíamos, já que o papo sempre fluía entre a gente.

Ouço um estouro e logo depois, outro. Meu Deus o que ele está aprontado? Nesse momento ele senta meu lado e faz eu provar a bebida: uma delícia. E logo depois outro. Fiquei perplexa, será um curso de enólogo gratuito? Fiquei sem entender e ele me pergunta. “Então: o que achou?” Eu devo ter ficado branca, porque pensei que ele quisesse que eu falasse a marca, safra ou algo do tipo. Ele acrescentou: “qual gostou mais?” Eu rapidamente acionei minha memória gustativa e disse: o primeiro. Ele prontamente tirou minha venda e disse: “Pelo jeito você gosta mais de branco do que rosé. Isso foi apenas para você escolher o champagne que vai beber essa noite.

Bom, vocês podem imaginar o quanto ele ganhou pontos nessa arte da conquista. Além disso, no quarto uma mesa com um jantar japonês para gente. O resto da noite fica por conta a imaginação.

Queridão você realmente é fera nesse quesito e chiquérrimo!

16 comentários:

Belle du Jour disse...

Essa é minha história preferida!!! Ganha até da história do Português!!

O blog tá lindoooooooo!!

Beijos,

Anônimo disse...

Se inveja matasse....

Se alguém souber de cursos para incentivar os namorados a serem chiques e queridos assim, por gentileza, avise-me.

Preciso inscrever meu homem verde. Sim, eu tenho um homem verde.

Anônimo disse...

essa história me deu até um pouco de animação...quem sabem um dia eu encontro um "amigo" assim. Estou cansada de homens bananas.....

Chris Carvalho disse...

Adorei Nikita! Muito boa a sua história!
Beijos!

Andarilho disse...

Caramba, pensei que essas coisas só acontecessem em Sex and the City, hehehe.

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Muito bom, Nikita. Chiquérrimo esse seu affair!!!!

Beijão,

Bela - A Divorciada

Nikita Ferraz disse...

Gente!
Sei que vocês adoraram essa história, assim como eu. Fiquei muito surpresa, mas lamento decepcioná-los, mas aconteceu no ano passado e não teve andamento.

Mesmo assim valeu contar, certo?

Beijos

Roberta disse...

Eeeeeeei, te achei!!!!
Adorei o blog, adorei os textos. E também fiquei feliz em saber que a história com o portuga rendeu pelo menos uma boa diversão !! hahaha, Luiz vai adorar saber!!!
Beijos,
Roberta

Anônimo disse...

Oi Lindona,
Isso sim foi uma arte de conquista, eu nao saberia dizer qual vinho teria gostado mais!! rsrs voce se saiu super bem rsrrs Estou adorando cada dia mais!!!! Te adoro... Um grande Beijo Amanda

Anônimo disse...

Nosssa! Que calor, queria um refrescante desses com bolinhas que fazem cócegas na garganta e tiram a gente do sério! rsrsrs... podia ser branco ou rosé, não tem problema, rs...
Que história legal, adorei o suspense, esse sabe como galantear, que charme, tô morrendo de inveja!! aiaiai!!!
Você merece é muito estilo, querida! Um beijo

Nikita Ferraz disse...

Oi Ro! Que bom você por aqui!
Acompanhe!!!
Beijos

Nikita Ferraz disse...

Andarilho! Essa é boa "Sex and the City" mesmo, mas acontece na vida real, viu? Espero que aconteçam muitas outras...

Anônimo disse...

Meu deus to adorando o blog... continue..

inês disse...

Nikita,

Luck you!
Feliz de quem tem uma história como essa para contar.
E contou com muita propriedade, suspense e emoção. Teria sido bom se tivesse tido um follw up, ou não!!!

Inês

Anônimo disse...

Ah, as histórias sobre aventuras na selva de pedras... ADORO!!!!

Bj da amiga ruiva

Andreia disse...

Eu não subiria de jeito nenhum! Morro de medo destas coisas...